Archive for julho \30\UTC 2008

Maquiagem

julho 30, 2008

O show está chegando e a gente já começa a pensar em preparativos como roupa, maquiagem, acessórios… Tudo isso que a gente acaba deixando para a última hora, ocupadas com a maratona de ensaios. A maquiagem na dança é super importante, porque ela vai ressaltar as expressões da bailarina.

Selecionei, então, algumas dicas legais e básicas para a produção na dança do ventre:

Maquiagem

Do site da MAC

Make para palco é diferente da que usamos para dançar pertinho do público. Tem que ser mais exagerada mesmo. Se o palco for muito distante da platéia, então… A gente até se assusta umas com as outras nas coxias. As dicas que vou dar aqui podem parecer estranhas, mas pode confiar. Só não vá usá-las para uma saída com o namorado!

A base é importante para dar um aspecto uniforme à pele, mas, para não parecer um fantasminha nas fotos, passe também no pescoço e no colo. O blush deve ser forte e o formato da aplicação (se arredondado ou diagonal, acima ou abaixo das maçãs) vai depender do formato do seu rosto. O importante é que as bochecas fiquem bem marcadas. Assim, quando você sorrir, será, para seu público, um sorrisão!

Tradicionalmente, destacamos os olhos na dança do ventre. Assim, capriche! As cores das sombras deverão ser harmonizadas com o tom de seu figurino. Na ilustração, uma inspiração retirada do site da MAC, onde se encontram várias outras propostas legais.

Não tenha medo dos cílios postiços. Dão um trabalhinho para aplicar, mas, em compensação, o resultado é incrível. Seus olhos ficam gigantes. Se ele estiver muito espesso, corte e aplique na ponta externa da pálpebra. Aqui, um passo-a-passo de como aplicar cílios postiços. Encontramos no mercado a opção de tufos, mas prefiro comprar o cílio completo e depois cortar no formato escolhido.

Roberta Salgueiro e Lid Van der Lans-Eneias

Roberta Salgueiro e Lid Van der Lans-Eneias

Na boca, evite tons “nada”. Use uma corzinha, também combinando com a roupa (ou seja, se sua roupa é vermelha, não use rosa). Também não precisa usar bocão vermelhão se a maquiagem das pálpebras for muito escura. Use o bom senso, lembrando apenas que é importante destacar bochechas, olhos e lábios. Abaixo, nossa professora Ana Luiza com um maquiagem super bem-feita e perfeita para um show:

Professora Ana Luiza Amaral

Professora Ana Luiza Amaral

Um site ótimo para brincar com cores e cabelos é o Taaz. Divertidíssimo, a gente pode subir uma imagem e ficar trocando de cabelos, testando tons e modelos. Ou pode também usar um dos modelos que eles disponibilizam para edição. Em inglês. Dica: quando escolher um cabelo ou penteado, clique sobre a imagem para poder editá-lo.

O blog Dia de Beauté tem também dicas muito legais. Vale uma visita.

Beijos e divirtam-se!

Anúncios

Jadid!

julho 21, 2008

Nosso show de dança do ventre.

Um evento para maravilhar os olhos e o coração.

A palavra árabe “Jadid” significa “novo” em português. Esse é o espírito do Ayuny: renovação. A vida é dinâmica e queremos traduzir isso em nossa mostra.

Venha se renovar também!

Dia 16 de agosto, às 19:30, no teatro da Aliança Francesa.

Foi lindo!

julho 21, 2008

A apresentação do AYUNY na Mostra do XVIII Seminário Internacional de Dança de Brasília foi um sucesso!

Representando nossa escola, a Professora Aisha Dincer brilhou com sua dança perfeita. Carismática e de técnica irretocável, Aisha encantou a sala Villa-Lobos do Teatro Nacional, que estava lotada. São 1.307 lugares, minha gente!

A entrada foi de arrepiar. Aisha dançou com dois véus wings, um vermelho e um dourado.

Finda a música clássica, um solo de derbake como poucos. Aquele palco imenso parecia pequeno para ela.

Uma apresentação irrepreensível!

O AYUNY gostaria de agradecer aos organizadores do XVIII Seminário Internacional de Dança de Brasília pelo convite, em particular a Rodrigo Mena Barreto e Renata Felix, da Duo Companhia de Dança.

Seminário Internacional de Dança de Brasília

julho 18, 2008

O AYUNY convida para a Mostra Brasília de Dança, a apresentação mais importante do XVIII Seminário Internacional de Dança de Brasília.

Sob a direção artística de Gisele Santoro, o Seminário acontece desde 1991, promovendo todas as formas de dança. Confira a programação completa aqui.

O AYUNY será representado por nossa talentosa professora Aisha Dincer, que brilhará em um dos palcos mais nobres do Brasil.

A mostra acontecerá no domingo, dia 20 de de julho, às 19 horas, na Sala Villa Lobos do Teatro Nacional Cláudio Santoro.

Entrada franca.

Prestigie a arte.
Envolva-se com a dança!

AYUNY – Centro de Bem Estar Feminino
SCLN 305 – Bloco B – Galeria
61. 3340 4291 – 8173 6317
http://www.ayuny.com.br

Oficinas de Inverno – terceira semana

julho 17, 2008

Bem no meio do mês, duas ótimas opções para turbinar sua prática de dança:

Oficina 5: Construção de coreografia: como dosar seus movimentos com o ritmo, a melodia e a harmonia da música árabe.

Data: Sábado, 19 de julho, das 15:00 às 18:00

A coreografia equilibrada é a chave para uma apresentação bem-sucedida. As variações dentro da música e as entradas de diferentes instrumentos e momentos solicitam uma leitura musical apropriada. Para tanto, é importante reconhecer ao menos três elementos musicais: o ritmo (base), a melodia e a harmonia.

Como encontrar o equilíbrio entre esses três elementos ao dançar? O que deve ser destacado na coreografia quando há pluralidade de sons? Como planejar e estudar a coreografia? Quais são os elementos básicos da construção de uma coreografia rica?

Esses temas serão abordados na oficina deste sábado, conduzida pela professora Roberta Salgueiro.

Venha estudar com a gente!

Sempre um conteúdo especial para turbinar seus conhecimentos!

Mais informações: 61. 817 6317 e 3340 4291.

* * *

Oficina 6: Taksim: como dançar ritmos e movimentos lentos equilibrando sensualidade e elegância.

Data: Domingo, 20 de julho, das 15:00 às 18:00

Taksim – o improviso melodioso da música árabe – é uma das seções mais belas de uma apresentação de dança do ventre. A união de oitos, redondos, camelos e outros movimentos suaves deve ser feita com harmonia e limpeza para garantir a tradução perfeita das melodias doces encontradas na música clássica.

Ana Luiza Amaral, a professora responsável por essa oficina, é uma estudiosa do taksim, que é sua especialidade. Bailarina reconhecida pela casa de chá Khan el Khalili, Ana Luiza é ainda uma professora de didática impecável.

Venha aprender mais conosco!

Aguardamos você.

Mais informações: 61. 8173 6317 e 3340 4291

CLN 305 Bloco B Subsolo

Oficinas de Inverno – segunda semana

julho 8, 2008

Oficina 3: Baladi e Shaabi: como reconhecer e dançar esses dois estilos de dança popular egípcia.

Data: sábado, 12 de julho, das 15 às 18 horas

O que é baladi? Ouvimos essa palavra todo o tempo, sabemos que é o nome de um ritmo. Mas não seria algo mais? Como estilo, reconhecemos uma música de introdução lenta, marcações delicadas e que se desenvolve para terminar bem agitada.

E aquela música toda agitada, do começo ao fim, com sabor popular, super alegre? Seria uma música shaabi ou é um baladi? Afinal o que quer dizer “Shaabi”?. E como diferenciar uma simples música moderna ou um saidi de um shaabi? Que ritmos encontramos no baladi e no shaabi? A diferença entre baladi e shaabi é tão grande assim?

Essas questões norteiam nossa terceira oficina. Além da parte teórica, importante em nossa formação como bailarinas de uma dança estrangeira, serão ensinados movimentos e seqüências para enriquecer sua dança.

À frente desta oficina está a professora Roberta Salgueiro. Doutoranda em antropologia (UnB), bolsista do CNPq, Roberta é uma pesquisadora dedicada e professora experiente.

Você não quer ficar fora dessa! Vamos estudar e nos divertir!

* * *

Oficina 4: Técnicas de Dança Contemporânea para Dança do Ventre II: Cambrés, Giros e Posturas

Data: Domingo, 13 de julho, das 15 às 18 horas.

Proposta inovadora do AYUNY, as oficinas de técnicas de dança contemporânea buscam oferecer às estudantes de dança do ventre recursos necessários para aprimorarem seu acervo de movimentos.

Posturas, giros e cambrés bem executados dependem de informações técnicas e exercícios específicos que envolvem controle de eixo, peso, força e equilíbrio. Cambrés mal executados podem resultar em lesões em articulações e músculos, além de prejudicar muito a imagem final de sua performance, que poderia ser perfeita. A dança contemporânea tem muito a nos ensinar nessas áreas em que é reconhecidamente forte.

A Professora Sabrina Faria, responsável por esta oficina, é formada pela Escola e Faculdade de Dança Angel Viana (RJ), com formação ainda pela prestigiosa escola do movimento Ivaldo Bertazzo (SP) e graduanda em fisioterapia (UniCeub).

Vamos lá?

Mais informações: 61. 3340 4291 e 8173 6317.

Oficinas de Inverno – primeira semana

julho 3, 2008

Nessa série de pequenos artigos, darei, semana a semana, novas informações sobre nossos workshops de inverno. Os temas foram todos escolhidos cuidadosamente para ajudar a estudante de dança do ventre a sanar dúvidas freqüentes.

As duas primeiras oficinas são sobre composição coreográfica e musicalidade, como veremos:

Oficina 1: Os ritmos folclóricos e a música clássica: Khaligi, Saidi e Ayubi.

Data: Sábado, 05 de julho, das 15:00 às 18:00

Sabe quando você está lá toda feliz dançando uma linda música árabe e, do nada, surge um ritmo bem diferente? Pois é. A música árabe para dança que normalmente chamamos de “clássica” tem como característica a grande variação rítmica. A música muda de humor a cada trecho. E quando não sabemos como interpretar certos ritmos, a gente acaba mudando de humor também! ^_^

Muitas vezes não sabemos bem o que fazer, mesmo já tendo feito aula de saidi (com ou sem bastão) ou de khaligi (normalmente com bata). Acabamos fazendo movimentos estereotipados e, dentro de uma música refinada, ao ouvir o tradicional “Dum Tak, Dum Dum, tak” do saidi, desatamos a pular. Seria a única opção? Ou dá para soar folclórica sem parecer que mudamos de música? Quando surge o Ayubi, temos que sacudir os cabelos? E como é que se diferencia Ayubi de Khaligi, já que ambos os ritmos têm 2 “Dum” próximos e a resposta coreográfica comum é tão parecida (os movimentos de cabeça e cabelo)?

Essas questões serão abordadas nessa oficina comandada pela delicadíssima professora Andréia Paula. Além de analisar os ritmos e sugerir movimentos, a proposta é ajudar a aluna a encontrar suas próprias respostas para as dúvidas coreográficas.

O workshop é recomendado para estudantes de todos os níveis.

Oficina 2: Técnicas de dança contemporânea para dança do ventre I: Espacialidade, Trajetórias e Improvisação.

Data: Domingo, 06 de julho, das 15:00 às 18:00.

Aqui, contamos com o apoio de outra dança para nos ajudar a crescer na dança do ventre. Acredito que muitas professoras de dança do ventre e alunas que querem construir suas próprias coreografias têm muito a ganhar ao compreender esses conceitos dominados pela dança contemporânea e primários em nossa própria dança.

O aproveitamento do espaço é essencial para uma coreografia de impacto – é um dos elementos que capturam o público. Como reconhecer seu espaço cênico, como planejar seu caminho por ele e como improvisar são as questões a serem trabalhadas nesse workshop.

O improviso, por sinal, é o tema mais negligenciado na dança do ventre e sabemos que esta é uma dança que, em sua história, caracteriza-se pela improvisação.

A responsável por esta oficina é a professora Sabrina Faria, formada pela prestigiosa escola Angel Viana (RJ).

E aí? Tá chegando a hora. Vamos estudar?

Se tem dúvidas, fale com a gente: 3340 4291 e 8173 6317.

Quermesse bacana!

julho 2, 2008

Nossa quermesse arrasou!

Deu tudo certo e nosso pequeno evento foi exatamente como esperado: um momento de confraternização, diversão e bons pequenos negócios!

Decoramos a galeria com bandeirinhas, balões e outros frufrus juninos – tem coisa mais gostosa e com a cara de nossas infâncias do que essas bandeirinhas coloridas? Hoje em dia já não temos mais aquele ritual de reunir amigos para recortá-las. A gente acaba comprando prontas. Mas a praticidade não leva embora a magia.

Muitas alunas e gente que curte a dança veio para prestigiar e aproveitar a tardinha conosco. Um deles é o Marco, amigo querido, que tirou as fotos que ilustram esse post. Ei-lo:

As pessoas queriam ver dança e a Andréia abriu as apresentações, com a interpretação de uma linda música clássica.

Roberta Seabra também dançou uma música clássica e todo mundo achou que a roupa dela foi a mais bonita da noite! ^_^

Aqui, ela posa entre derbakes e apetrechos de camarim.

A Aisha nos brindou com sua energia e estilo vigoroso em um solo de percussão. Não tivemos nenhuma foto até agora, mas, assim que receber, coloco aqui. Ana Luiza, dodói da garganta, não pôde dançar, mas permaneceu até o final, apoiando nossa quermesse.

Eu (Roberta Salgueiro) dancei um shaabi, bem popular, para fechar a noitinha mais bacana desse junho!